Chega ao mercado dispositivo que usa luz de LED e inteligência artificial para detectar idade gestacional de prematuros

Com a aparência de um termômetro digital, Preemie-Test utiliza algoritmo computacional para analisar a maturidade da pele do recém-nascido com precisão superior a 90%

Cerca de metade dos recém-nascidos no Brasil tem idade gestacional imprecisa em decorrência da não realização de ultrassom obstétrico nos três primeiros meses da gravidez e podem estar entre os 12% dos bebês que nascem antes de completar 37 semanas, sendo considerados prematuros e requerendo cuidados especiais imediatos para evitar intercorrências que podem lhe custar a vida ou trazer prejuízos permanentes à sua saúde.

Foi para oferecer uma resposta rápida e segura a essa situação, seja em localidades carentes de profissionais especializados e equipamentos, seja para racionalizar o uso dos recursos disponíveis ou apoiar decisões da equipe de saúde, que um grupo de pesquisadores brasileiros se uniu para desenvolver uma tecnologia capaz de estimar a idade gestacional com base na análise da pele do recém-nascido.

Batizado de Preemie-Test e recém-aprovado pela Anvisa, o dispositivo chega ao mercado por meio de uma parceria comercial entre a empresa brasileira Olidef, especializada no desenvolvimento, produção e comercialização de equipamentos médico-hospitalares, e a Birth Tech, criada pelo astrofísico Rodney Guimarães, um dos coordenadores da pesquisa, para produzir o equipamento.

Exclusiva no mercado, a tecnologia é resultado de oito anos de pesquisas desenvolvidas na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e envolveu profissionais das áreas de neonatologia e obstetrícia, enfermagem, fisioterapia, física, ciência da computação e de dados. O equipamento é resultado de pesquisas que receberam apoio de instituições de fomento nacionais e internacionais, incluindo Ministério da Saúde, Fiocruz, Capes, Fapemig, Fundação Bill e Melinda Gates e Grand Challenges Canada.

Totalmente inofensivo e não invasivo, o Preemie-Test é parecido com uma caneta, medindo cerca de 15 centímetros de comprimento, e utiliza inteligência artificial e luz de LED para analisar a maturidade da pele do recém-nascido de acordo com a reflexão e a absorção da luz.

O algoritmo também leva em conta parâmetros o peso da criança e se a gestante fez uso corticoides durante o pré-natal, uma vez que este medicamento acelera a maturação do feto. O equipamento passou por ensaios clínicos em universidades e hospitais no Brasil e em Moçambique, onde foram avaliados mais de 800 recém-nascidos.

“O Preemie-Test ajuda na tomada de decisões críticas diretamente nos cenários de parto, reduzindo mortes e sequelas e otimizando o gerenciamento hospitalar, a exemplo da ocupação de leitos de UTI neonatal”, avalia André Ali Mere, CEO da Olidef, que há quase seis décadas desenvolve, produz e comercializa equipamentos médico-hospitalares de alta tecnologia que são destaque no Brasil e no mundo, exportando para mais de 50 países.

“A informação precisa sobre a cronologia gestacional pode contribuir para que as devidas manobras de sobrevivência ocorram em tempo, principalmente no que se refere à necessidade de suporte respiratório para que o neonato consiga sobreviver”, afirma Ali Mere.

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Scroll to Top
Sabores Sem Glúten no Nikkey Palace Hotel Como funciona o sorteio da Loteria Federal, saiba como concorrer aos prêmios 12 Cidades para incluir numa viagem para a Tailândia  Projeto de Lei: Regulamentação da Inteligência Artificial Energia Renovável: NetApp e seu Compromisso Sustentável Mundo de Kaboo: Uma Jornada Encantadora pela Imaginação Aluguel de Brinquedos: Facilitrip Traz Novidades Para Viagens Familiares O Impacto do Salário Mínimo na Vida dos Brasileiros: Cuidados Cruciais com Pensões Alimentícias Desfrute de Férias Memoráveis no Wyndham Olímpia: A Comodidade do Verão em Parcelas!