Divórcio Grisalho: Cuidados Essenciais com Padrão de Vida, Plano de Saúde e Patrimônio

O divórcio sempre foi um processo delicado e complexo, mas quando ocorre em uma fase mais madura da vida, os desafios podem ser ainda maiores. Nos últimos anos, o Brasil viu um aumento significativo nos chamados “divórcios grisalhos” — aqueles que envolvem cônjuges com mais de 50 anos. Este fenômeno traz à tona diversas questões cruciais que precisam ser abordadas com cuidado e atenção, especialmente em relação ao padrão de vida, plano de saúde e patrimônio. Neste artigo, vamos explorar os principais aspectos que devem ser considerados em um divórcio grisalho, com um foco especial nas mulheres, que muitas vezes enfrentam os maiores riscos financeiros e de qualidade de vida.

O Crescimento do Divórcio Grisalho

Estatísticas e Fatores Contribuintes

De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE), o número de divórcios entre pessoas com mais de 50 anos quase dobrou nos últimos dez anos. Uma geração atrás, menos de 10% dos divórcios envolviam cônjuges dessa faixa etária. Hoje, mais de 25% dos divorciados têm mais de 50 anos, com a maioria dos divórcios grisalhos ocorrendo após 20 anos de casamento.

Vários fatores contribuem para essa tendência. Entre eles estão:

  • Filhos Crescidos e Ninho Vazio: Com os filhos já adultos e fora de casa, muitos casais enfrentam o que é conhecido como “síndrome do ninho vazio”, levando a uma reavaliação da relação conjugal.
  • Aumento da Expectativa de Vida: Com as pessoas vivendo mais, há uma maior oportunidade e desejo de buscar felicidade e satisfação em novas fases da vida.
  • Distanciamento Sexual e Menopausa: A diferença de interesse sexual, exacerbada pelo uso de medicamentos por parte dos homens e a menopausa das mulheres, pode criar desarmonias.
  • Maior Independência das Mulheres: As mulheres estão mais independentes financeiramente e menos dispostas a tolerar relacionamentos insatisfatórios.

Testemunhos e Observações Profissionais

Margareth Zanardini, uma advogada curitibana especializada em Direito de Família, observa que o divórcio grisalho raramente ocorre devido a um único evento específico. “Ele é fruto de uma série de fatores e acontecimentos acumulados ao longo dos anos e, normalmente, não é amigável”, afirma. Na última quinzena de maio, Zanardini recebeu cinco consultas de pessoas com idade entre 50 e 78 anos querendo se separar, destacando o crescimento desse fenômeno.

Impactos no Padrão de Vida

Alterações Financeiras Pós-Divórcio

Uma das mudanças mais significativas que um divórcio grisalho traz é a alteração no padrão de vida dos envolvidos. Zanardini ressalta que, mesmo quando os filhos já são adultos, o impacto financeiro é inevitável. “O padrão de vida que se tem com a soma de duas fontes de renda é sempre maior que o padrão propiciado por uma única fonte de renda.”

Para mulheres que não possuem uma fonte de renda própria, a situação pode ser ainda mais complicada. O Judiciário geralmente estabelece o valor da pensão alimentícia em 30% da renda do ex-cônjuge. No entanto, esse valor pode ser insuficiente para cobrir todas as despesas, especialmente as de um bom plano de saúde, que muitas vezes é perdido na separação.

Desafios com Habitação e Imóveis

Outro ponto crucial é a moradia. Se o casal possui apenas um imóvel, este terá que ser vendido, e o valor dividido. “A metade do valor de um imóvel não compra outro do mesmo padrão, e a mulher precisa estar ciente disso”, reforça Zanardini. Muitas mulheres, ao perceberem a dificuldade de manter o padrão de vida pós-divórcio, acabam desistindo da separação.

Plano de Saúde: Uma Preocupação Primordial

Custos e Acessibilidade

O acesso a um bom plano de saúde é uma das maiores preocupações para pessoas que se divorciam na terceira idade. Planos de saúde corporativos e antigos, muitas vezes mais vantajosos, são perdidos com a separação. A advogada alerta que os custos para contratar um novo plano de saúde podem ser inviáveis dentro do novo orçamento.

Exemplos e Casos Reais

Zanardini destaca casos onde a pensão alimentícia, mesmo quando concedida, não é suficiente para cobrir todas as despesas médicas e de saúde. “Dependendo do valor desses 30% e da idade da mulher, isso não cobre nem das despesas de um bom plano de saúde”, alerta. Esse cenário é particularmente preocupante, considerando que a saúde tende a se tornar uma preocupação maior com o avanço da idade.

Patrimônio: Divisão e Implicações

Partilha de Bens e Consequências

A divisão de bens é outro aspecto delicado no divórcio grisalho. Margareth Zanardini compartilha um caso onde um cliente, por sentimento de culpa devido à infidelidade, quis deixar tudo para a ex-esposa. No entanto, a advogada conseguiu convencê-lo a manter uma parte do patrimônio. Dois anos depois, esse cliente sofreu um AVC e enfrentou dificuldades financeiras, destacando a importância de uma divisão justa e bem-pensada do patrimônio.

Usufruto e Interferência dos Filhos

Os filhos adultos, em alguns casos, podem complicar ainda mais a situação, sugerindo a partilha dos bens dos pais em vida com usufruto. Isso pode resultar na perda de autonomia sobre os bens, como destaca Zanardini: “Já tive casos de um filho ficar com a casa dos pais e colocar a mãe no quarto de empregada.”

Considerações Finais e Conselhos Práticos

Avaliação Completa Antes da Decisão

Dada a complexidade e as possíveis consequências de um divórcio grisalho, é fundamental realizar uma avaliação completa antes de tomar a decisão final. Margareth Zanardini sempre procura esgotar a análise de todas as mudanças possíveis, pois “quando se é jovem ainda há muito tempo para refazer a vida, e o mesmo não acontece depois dos 50”.

Reconsideração e Reconciliação

Interessantemente, muitos casais grisalhos, após um período de separação, decidem se reconciliar. No entanto, Zanardini esclarece que essa reconciliação não é mais simples como antigamente: “Para voltar, tem que casar de novo e formalizar novo processo do zero.”

Perguntas Frequentes

O que é um divórcio grisalho?

Um divórcio grisalho refere-se à separação de casais com mais de 50 anos. Esse tipo de divórcio tem se tornado mais comum nos últimos anos, refletindo mudanças na dinâmica dos relacionamentos e na longevidade das pessoas.

Por que os divórcios grisalhos estão aumentando?

Vários fatores contribuem para o aumento dos divórcios grisalhos, incluindo a independência financeira das mulheres, o aumento da expectativa de vida, a saída dos filhos de casa (síndrome do ninho vazio) e diferenças no interesse sexual entre os cônjuges.

Quais são os principais desafios financeiros para as mulheres no divórcio grisalho?

As mulheres enfrentam vários desafios financeiros no divórcio grisalho, incluindo a perda de acesso a planos de saúde corporativos, a necessidade de ajustar-se a um padrão de vida com uma única fonte de renda e a divisão de bens que pode não ser suficiente para manter o mesmo padrão de vida.

Como a divisão de bens é tratada no divórcio grisalho?

A divisão de bens no divórcio grisalho segue os mesmos princípios de outros divórcios, mas pode ser mais complicada devido ao valor emocional e financeiro dos bens acumulados ao longo dos anos. É crucial realizar uma divisão justa e bem-pensada para evitar dificuldades futuras.

Os filhos podem interferir no processo de divórcio grisalho?

Sim, os filhos adultos podem interferir no processo de divórcio grisalho, muitas vezes sugerindo a partilha dos bens dos pais em vida com usufruto, o que pode resultar na perda de autonomia dos pais sobre seus bens.

Existe algum tipo de suporte financeiro para mulheres divorciadas na terceira idade?

O Judiciário pode conceder pensão alimentícia para mulheres divorciadas na terceira idade, mas esse valor geralmente é limitado e não é vitalício. As mulheres precisam estar preparadas para se sustentar financeiramente após o período de pensão.

Conclusão

O divórcio grisalho é um fenômeno crescente que traz à tona muitos desafios únicos. Mulheres, em particular, enfrentam riscos financeiros e de qualidade de vida significativos. É essencial que todas as mudanças possíveis sejam cuidadosamente consideradas antes de tomar a decisão de se divorciar. Uma avaliação completa e o suporte de um especialista em Direito de Família podem fazer toda a diferença, garantindo que ambas as partes possam enfrentar essa nova fase da vida com mais segurança e dignidade.

Para mais informações e recursos sobre como lidar com essas e outras questões relacionadas ao divórcio grisalho, visite o site Master Maverick.

Escrito por Rafael Ramos.

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Scroll to Top
Aluf dá Show de Moda na Abertura do SPFW com Participação Especial da Orquestra Sinfônica Heliópolis TEDx Praia do Forte: Descubra o Poder da Sustentabilidade e Empoderamento em um Mundo em Transformação Navio Roupa Nova 40 Anos: Uma Viagem Mágica pelos Mares da Música Brasileira 7 Jogos leves para celulares fracos (Android 1GB RAM / Mobile) Explorando a Nova Parceria: Belle Belinha e Kine-Chan Agitam as Redes Sociais Sabores Sem Glúten no Nikkey Palace Hotel Como funciona o sorteio da Loteria Federal, saiba como concorrer aos prêmios 12 Cidades para incluir numa viagem para a Tailândia  Projeto de Lei: Regulamentação da Inteligência Artificial